Viajando pela Colômbia: San Andrés

O último destino da nossa viagem de duas semanas pela Colômbia foi San Andrés, uma ilha colombiana famosa pelo seu mar de sete cores.

Realmente o mar é um dos mais bonitos que já vi até hoje, mas a ilha é tudo isso que sai nos guias turísticos? Bom… San Andrés não é um destino que agrada a todos e não é um lugar que eu recomendaria para qualquer pessoa.

Acuario
Acuario

É um lugar que tinha tudo para ser perfeito, mas por vários motivos deixa muito a desejar. Em contraste com a beleza do mar, a ilha parece que foi abandonada. Tudo é muito mal cuidado e as pessoas parecem que não estão nem aí para nada. Não estou querendo que San Andrés se transforme em Cancun (até porque não gosto muito desse estilo de viagem), mas um pouquinho de cuidado não faria mal a ninguém.

E uma coisa que me chocou muito é que os locais são extremamente antipáticos. Sinceramente, não entendo como um lugar que vive de turismo pode ter um povo tão antipático e muitas vezes super mal-educados. E não estou falando só das pessoas da rua não: nos hotéis, restaurantes, locais de informação, e até a mulher que vende cocada na rua são desagradáveis. Uma coisa incrível.

Nesse post vou comentar um pouco da nossa experiência contando os pontos positivos e negativos de cada lugar que visitamos. Então cada um pode ter uma visão mais clara e mais realista para decidir se vale ou não a pena visitar a ilha.


HOTEL

O hotel que nos alojamos foi o Cocoplum, que está em uma das praias mais bonitas da ilha. E essa praia é praticamente frequentada só pelos hóspedes do hotel, que não é muito grande, então é uma praia bem agradável para passar o dia, A água é quentinha e transparente e o mar parece uma piscina. É um lugar perfeito para crianças.

A praia do hotel
A praia do hotel

A ilha não tem muitas praias de areia, por isso a localização desse hotel é um ponto super positivo. Mas talvez o único, já que assim como o resto da ilha o hotel parece um pouco abandonado. A manutenção do hotel não existe e de quebra reclamar civilizadamente é em vão. Tivemos vários problema durante os dias que passamos ali e o que mais irritava era o descaso do pessoal do hotel.

De qualquer maneira antes de reservar um hotel em San Andrés e pagar uma fortuna recomendo ler todos os comentários nas páginas de reservas e consultar o Trip Advisor, já que esse problemas que comentei parecem ser generalizados. Além disso, a maioria dos resorts all-inclusive, que são os mais caros, não estão em praias bonitas, por isso cuidado ao fazer a reserva.

Recomendo? Se você quer luxo e conforto não recomendo nem ir a San Andrés, quanto mais ficar nesse hotel. Mas se procura uma boa praia e está acostumado a ficar um pousadas simples e sem luxo pode ser uma opção.

Por do sol em frente ao hotel
Por do sol em frente ao hotel

LOCOMOÇÃO

É essencial alugar carro na ilha, porque se em Bogotá os taxis eram ruins, você não imagina como são em San Andrés. É muito comum ver os turistas alugando motos ou carros de golf. Como éramos seis mais um bebê com seu carrinho decidimos alugar uma mini van e foi ótimo.

Só o sistema de devolução que não é muito seguro. Combinamos de devolver o carro no aeroporto e a pessoa que nos alugou só apareceu uma hora depois do combinado. Fora que tinha deixado um telefone que não funcionava…

Por isso sugiro devolver no mesmo local de aluguel. Se a pessoa não estiver, você larga o carro de qualquer jeito e vai embora.

Uma coisa curiosa é que os carros não têm placa, mas também em uma ilha de 26 km quadrados não tem muito pra onde fugir né?

Fim de tarde na praia do hotel
Fim de tarde na praia do hotel

O QUE FAZER

Acuario e Parque Johnny Cay: O passeio que mais se recomenda fazer em San Andrés é ir ao Acuario e a Johnny Cay. É um passeio super barato e aparentemente nao há nenhum controle de entrada de turistas nesses locais, apesar de Johnny Cay ser um parque protegido. São dois lugares lindos, mas que infelizmente estão massificados.

Johnny Cay
Johnny Cay

O Acuario é uma ilha minúscula no meio de um mar maravilhoso, onde a água dá pela cintura. É perfeito para ir com criança e para fazer snorkeling (apesar que não tem muita coisa para ver). Mas tem tanta tanta mas tanta gente que é uma farofa tipo Piscinão de Ramos.

De um lado da ilha até dá para ficar mais tranquilo. Deve ser onde as agências de viagem tiram fotos para vender pacotes turísticos.

Acuario
Acuario

Mas a realidade do Acuario está do outro lado, onde o mar é mais bonito e a água é super transparente… E olhe que nesse dia estava nublado e chovendo, imagine esse mar com sol…

Acuario
Acuario

Johnny Cay é um pouco mais tranquilo porque é bem maior, tem estrutura de bar e restaurante, cadeira e guarda-sol para alugar, etc. Ainda assim, na praia principal onde estão os restaurantes também rola uma farofa. Mas no lado esquerdo da praia tem lugares bem tranquilos e lindos, longe da multidão. Dá para aproveitar bem mais.

Johnny Cay
Johnny Cay

Recomendo? A visita a Johnny Cay sim, mas o Acuario só recomendo ir se for num barco particular para parar fora da ilha. O barco que pegamos parecia um barco de refugiados, com uns coletes nojentos que não tive coragem de colocar (não estou exagerando). Se eu soubesse antes que seria esse o esquema teria procurado alugar um barco e ir só com minha família, mesmo pagando bem mais.

Johnny Cay
Johnny Cay

La Piscinita: É um bar-restaurante com um lugar ótimo para mergulhar e dar comida aos peixes. Para entrar tem que pagar uma merreca e o pessoal do bar é extremamente antipático. Mas é um mergulho bem gostoso. Nós fomos num dia que estava nublado e mesmo assim o mar estava incrível.

La Piscinita
La Piscinita

Laguna Big Pond: Ou esse nome é piada ou a lagoa secou, porque parece uma poça. É tão pequena que nós nem descemos do carro para ver.

Cueva de Morgan: Segundo a lenda essa cova foi usada pelo pirata Morgan para guardar seu tesouro. Chegamos na porta e desistimos de entrar depois que lemos no Lonely Planet que não dava para ver muita coisa. Parecia o típico programa pega-turista.

Hoyo Soplador: É um ‘gêiser’ natural. É engraçadinho ver a galera se molhando e tirando fotos. É bem farofada, mas vale a pena parar para dar uma espiada. As risadas são garantidas! Pena que ninguém da minha família se aventurou a levar um sopro de água na cara para ter uma foto mais legal.

Hoyo Soplador
Hoyo Soplador

Compras: San Andrés também é famosa por ser livre de impostos e ter produtos importados mais baratos. Mas salvo uns perfumes no aeroporto não vimos nada que valesse muito a pena. Total decepção. De qualquer maneira o passeio pela Peatonal, onde estão as lojas, é válido.

Esportes Aquáticos: A ilha em teoria tem muita oferta de esportes aquáticos. O que não faltam são passeios para fazer snorkeling ou nadar com arraias. Mas esses passeios também pareciam super massificados. Além disso pelas fotos que vimos deixam as pessoas pegarem as arraias para nadar e para mim isso é um crime.

Eu gostaria de ter mergulhado nessa viagem, mas como estava grávida não pude. Imagino que a visibilidade seja incrível, apesar que muita vida marinha não vimos (devem ter fugido dos turistas).

A ilha também tem muita oferta de jet ski e kite surf. Jet ski meu irmão e meu marido conseguiram alugar mas como não deixavam sair de uma determinada área, não dava para aproveitar muito. O kite meu irmão tentou alugar várias vezes mas sempre tinha algum problema. Fora que todos esses equipamentos estavam sempre mal cuidados e meio abandonados. E achar a pessoa responsável pelo aluguel era sempre um suplício.

Johnny Cay
Johnny Cay

RESTAURANTES

Eu gostei muito de dois restaurantes. Corrijo: da comida de dois restaurantes, porque o atendimento em ambos era bem regular.

La Regatta: É considerado o melhor da ilha. Tem uma decoração bem peculiar e imagino que de dia tenha umas vistas espetaculares (nós fomos à noite), já que está de frente para o mar.

La Regatta
La Regatta

A comida não é nada do outro mundo, mas em geral se come bem.  O ceviche que provamos estava ótimo e as bebidas também excelentes! É um restaurante obrigatório na ilha.

Restaurante Casablanca: Apesar do atendimento bem ruinzinho e lento foi onde comi melhor em San Andrés. O Encocado de frutos do mar estava simplesmente maravilhoso! Me lembrou muito nossa velha e tradicional moqueca. Recomendo, mas vá com paciência!


EM RESUMO…

Bom, como disse no início, San Andrés é um lugar de altos e baixos e não é para qualquer viajante. É um lugar que você pode se decepcionar facilmente, porque tem tantos problemas que às vezes é frustrante para quem está de férias.

Para mim a falta de infra-estrutura não incomodou porque gosto de conhecer lugares naturais e, sinceramente, já estive em lugar muito pior. O que realmente me incomodou foi a antipatia do povo, bem diferente dos colombianos que tivemos contato em Bogotá e Cartagena.

Em geral foi um lugar que gostei para ficar tranquila e descansar, mas sabendo de tudo isso antes teria me programado para fazer uma viagem um pouco diferente, mesmo que implicasse gastar um pouco mais. Provavelmente teria dedicado o primeiro dia a organizar uns passeios de barco que fossem privados, porque só assim dá para curtir aquele mar maravilhoso com tranquilidade.

De qualquer maneira quis deixar bem claro todos os pontos negativos para não passar uma impressão errada de que a ilha é um paraíso e que agrada qualquer um. Ainda por cima, não é o destino mais barato na Colômbia, por isso antes de embarcar dê uma boa pesquisada e veja se esse local se encaixa no seu perfil de viajante.

9 thoughts on “Viajando pela Colômbia: San Andrés”

  1. Olá Paula! bom dia!
    Acabei de ler seu relato para San Andrès, Colômbia.
    Estou um tanto reticente em ir para lá, pois viajo com 3 pessoas idosas. Vamos para Bogotá e depois, Cartagena. Você acha que San Andres é um lugar indicado para levar pessoas idosas? é “imperdível” como alguns dizem? ou será péssimo para eles? Depois de ler o que escreveu, não me animei muito!
    Parabéns pelo post!
    Muito obrigada!
    Cintia

    Like

    1. Oi Cintia! San Andres é um lugar que sinceramente fico com medo de recomendar, principalmente sem conhecer o perfil das pessoas. Eu tentei ser o mais transparente possível sobre minha experiência lá justamente para não passar uma ideia que a ilha é um paraíso e não tem nenhum problema. Para dar uma ideia, éramos seis pessoas e metade do grupo não gostou. Depois que fui também varias pessoas que conheço me comentaram que não tinham gostado nada, mas conheço gente que amou. É um lugar tão peculiar que é difícil ficar indiferente; você pode amar ou pode ser uma grande decepção. Se você ficar num hotel bom e conseguir alugar barco privado só para o grupo de vocês eu acho que a viagem pode ser bem boa. Agora, entrar nas excursões que vendem por ali é furada…
      Se decidir ir tente reservar algum resort (para ir com crianças e idosos acho que é melhor), mas tenha bem claro que a qualidade de qualquer hotel da ilha (mesmo os mais caros) é bem regular. E cuidado também que a maioria deles não está na praia. Ah! Quando fui era alta temporada, não sei se em outra época do ano pode estar mais tranquilo… Enfim.. não sei se te ajudei muito, mas é que realmente não é um lugar unânime, como Cartagena, que é uma maravilha! Eu não fui a Medellin e me arrependi muito; pois todo mundo que conheço gostou, vê se não poderia ser uma alternativa… E passa aqui para contar depois! 🙂

      Like

  2. Olá Paula!
    Sim, me ajudou muito! San Andrés deve ter infra bem de Ilha mesmo..Deve ser estilo Ko Phi Phi (Tailândia) rs.
    Vou optar por ficar mais dias em Cartagena, que todos dizem ser apaixonante!
    Há, parabéns pelas viagens e principalmente por compartilhar, vc está me ajudando com a Colômbia e com o Japão! Vou pra lá na sequência!
    Um grande abraço!

    Like

    1. Obrigada Cintia! O Japão é demais! Kyoto então, é apaixonante. Bom… já que você conhece Koh Phi Phi é mais fácil comparar. Phi Phi está muito, mas muito mais avançada e preparada para receber visitantes; só por aí você já pode ter uma ideia mais clara… 😉 Obrigada pelos comentários e curta muita suas viagens!

      Like

  3. Depois de ler esse post, fiquei completamente desanimada da viagem que comprei! Nossa que triste! Meu marido e eu, programamos a viagem para ir com nossa filha de 1 ano e meio. Vamos em maio. Espero que não voltemos deprimidos

    Like

    1. Oi Talihina, calma que ainda não está tudo perdido, pelo menos você vai com mais informação do que eu fui e pode se programar melhor! Chegando lá vê se consegue contratar um tour personalizado ou alugar uma lancha com marinheiro para conhecer o aquario e johnny cay. Tb alugue um carrinho pra se locomover melhor e procure ir nos restaurantes bons. E dizem que providencia é bem legal, mas não consegui ir… De qualquer maneira não desanime! O post é sobre minha experiencia, pode ser que vc goste de tudo! Beijos e boa viagem!

      Like

  4. Oi Paula, tudo bem?

    Eu estarei em San Andres no Réveillon e gostaria de alugar uma lancha nos primeiros dias de 2017.
    Você tem alguma indicação bacana?

    Aguardo!

    Like

    1. Bruno, nao fiquei com os contatos. Mas isso você consegue facilmente com o hotel. Sugiro entrar em contato com eles quando fizer a reserva para nao deixar para a ultima hora… essa epoca do ano deve ser bem cheio.

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s