Visitando Palermo: o Palácio dos Normandos, as macabras catacumbas dos Capuchinhos e mais pasta!

Palermo é uma cidade relativamente grande, com mais de 650 mil habitantes, e com um considerável patrimônio artístico e arquitetônico. Para conhecer bem a cidade pelo menos quatro dias são necessários, sobretudo para quem gosta de comer bem e não se importa de passar algumas horas nos restaurantes.

Eu, particularmente, hoje considero a gastronomia parte importante das viagens e é a única coisa que pesquiso antes de viajar. Pelo menos uma vez ao dia gosto de sentar num restaurante bom e comer bem, mesmo que isso implique ‘perder’ 3 horas de turismo.

Palermo
Palermo

Além disso, acho legal fazer alguma atividade cultural local. No caso de Palermo tentamos ir em uma ópera no Teatro Massimo, mas não pudemos entrar porque só aceitavam crianças com mais de 5 anos… Essa foi uma das poucas coisa que não pudemos fazer com um bebê de 1 ano. Faz parte.

O mais incrível de Palermo é a mescla de estilos árabe e normando, evidente em muitas residências e em alguma igrejas, como a Chiesa di San Giovanni degli Eremiti.

Chiesa di San Giovanni degli Eremiti
Chiesa di San Giovanni degli Eremiti

O mais bonito dessa igreja (entrada 6€) é o jardim com palmeiras, cítricos e cactus.

Chiesa di San Giovanni degli Eremiti
Chiesa di San Giovanni degli Eremiti

Do claustro normando no exterior dá para ter uma bela vista do Palazzo dei Normanni (Palácios dos Normandos), que está praticamente vizinho à igreja.

Junto à Catedral, a visita a esse Palácio é considerada um dos imprescindíveis em Palermo. Essa visita é tão especial não pelo Palácio em si, mas pela Cappella Palatina, que está no seu interior. Esse é um dos lugares incômodos para ir com bebê porque a entrada do carrinho não está permitida e tem algumas escadas para subir com ele no colo.

Cappella Palatina (Palazzo dei Normanni)
Cappella Palatina (Palazzo dei Normanni)

A Capela é impressionante. Os mosaicos em tons dourados e brilhantes são de uma sofisticação incrível, além da quantidade de pedras preciosas que adornam o espaço.

Cappella Palatina (Palazzo dei Normanni)
Cappella Palatina (Palazzo dei Normanni)

A imagem mais impactante é a do Cristo Pantocrator e dos anjos na cúpula.

Cappella Palatina (Palazzo dei Normanni)
Cappella Palatina (Palazzo dei Normanni)

Saindo do Palazzo dei Normanni em direção às Catacumbas dos Capuchinhos, paramos em um restaurante excelente de comida casalinga (caseira): Trattoria ai Cascinari.

O restaurante está numa zona meio esquisitinha, por isso não pense que você errou o caminho. É um restaurante muito frequentado por palermitanos, mesmo porque já começa a se afastar um pouco do centro histórico (está bem perto da Porta Nuova).

Para começar pedimos umas Almôndegas de berinjela (Polpette di melanzane). Eu adorei esse prato, mas Gonzalo não gostou nada. Todos pediam o antipasto misto nesse restaurante, mas já tínhamos provado e não nos agradou muito.

Polpette di melanzane
Polpette di melanzane

O primeiro prato principal foi um Spaghetti al nero di Seppia (Spaghetti com tinta de lula). Um dos pratos preferidos de Gonzalo e que fazem muito bem na Sicília.

Spaghetti al nero di seppia
Spaghetti al nero di seppia

O segundo prato foi um Cannelloni alla Norma.  Uma delicia.

Cannelloni alla Norma
Cannelloni alla Norma

As sobremesas são da Pasticceria Cappello, muito famosa na cidade (aliás, fica bem pertinho da Porta Nuova). Uma das sobremesas foi uma Torta delizia al cioccolato.

Torta delizia al cioccolato
Torta delizia al cioccolato

A segunda foi uma Torta delizia al pistacchio. Uma melhor que outra! E são pequenas, então dá para pedir mais de uma e ainda passar na pastelaria e levar umas para casa.

Torta delizia al pistacchio
Torta delizia al pistacchio

A menos de 5 minutos dali estão as Catacumbas dos Capuchinhos (Catacombe dei Cappuccini). Essas catacumbas contêm os restos mumificados de cerca de 8.000 palermitanos falecidos entre os séculos XVII e XIX. Eles estão colocados segundo o status social, sexo, religião e profissão. As fotos não são permitidas, mas não faltam fotos na web para quem tiver curiosidade.

A imagem mais famosa dessas criptas subterrâneas é da menina Rosalia Lombardo, que morreu de pneumonia aos 2 anos em 1920. Seus pais contrataram na época o melhor embalsamador da Sicília e até hoje o corpo está em perfeitas condições, mesmo os órgãos internos.

É uma visita um pouco macabra e em alguns momentos pouco agradável. É um ambiente um pouco pesado, mas não deixa de ser uma visita interessante.


Trattoria Ai Cascinari

Via D’Ossuna 43/45 – Palermo

Média de Preço por Pessoa: 20-25€

Pasticceria Cappello

Via Colonna Rotta, 68 – Palermo (Porta Nuova)

Via Giosuè Carducci, 22 – Palermo (Politeama)

http://www.pasticceriacappello.it/

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s