Fim de semana andaluz: a Mesquita-Catedral, o Alcázar de los Reyes Cristianos e o Salmorejo de Córdoba

Uma das regiões mais legais para conhecer na España é a Andalucía. Pela beleza, pela arquitetura, pela história e pelas pessoas, que em geral (me desculpem os madrileños) são mais abertas e mais simpáticas que o resto do país.

Há uns anos atrás fui passar um fim de semana em Córdoba e Granada e adorei a viagem. Esse ano, aproveitando a visita da minha família, repetimos a mesma viagem, que recomendo para qualquer pessoa que visite o país e queira conhecer um pouco da cultura e dos contrastes de um país tão pequeno mas com tanta história.

Em um fim de semana é possível conhecer as duas cidades, mas o ideal é reservar dois dias para cada, para dar tempo de aproveitar bem e sem pressa, desfrutar da comida e da vida noturna, além dos passeios turísticos tradicionais.

CÓRDOBA

Como chegar

Se você sai de Madrid a melhor maneira de ir a Córdoba é em AVE (trem rápido no site renfe.com). O problema é que não dá para ir em AVE para Granada, só em trem lento ou em ônibus. Então se a idéia é só ir a Córdoba, AVE. E se a ideia é ir a Córdoba e Granada, é melhor ir de carro.

A viagem Madrid-Córdoba de carro dura 4:30 hs e de AVE só 2hs. A viagem de carro entre Córdoba e Granada dura 2hs aproximadamente.

Hotéis

Recomendo buscar um hotel no centro antigo, para não perder tempo com deslocamento. Os hotéis no centrinho não são os mais baratos, mas não vale a pena ficar fora do centro porque não tem nada para ver. Aqui deixo duas opções de hotel, uma mais em conta (e pior obviamente) e uma bem melhor (e um pouco mais cara). De qualquer maneira, qualquer hotel no centro antigo vale. E uma reserva com antecedência garante melhores preços.

  • Recomendado: Eurostars Patios de Córdoba. Diário Córdoba, 13 – Córdoba – España
  • Opção mais em conta: Sercotel Hotel Selu. Eduardo Dato, 7 – Córdoba – España

O imprescindível

Em dois dias não dá para fazer muito mais que o básico, que inclui em primeiro lugar um passeio pela Judería, o bairro que entre os séculos X e XV viviam os judeus. É sem dúvida a zona mais visitada pelos turistas e onde estão a Mesquita-Catedral e Sinagoga.

Judería
Judería

Antes de entrar no bairro, porém, recomendo caminhar pela Calle Cairuan, uma rua que acompanha a muralha mediaval de Córdoba, cheia de esculturas e canais de água. Lindo.

Entrando no bairro você ficará maravilhado com as ruelas decoradas com flores, que se destacam nas paredes brancas das casas.

Calle de las flores
Calle de las flores

Bem no centrinho está a Mesquita-Catedral, um dos monumentos mais importantes da arquitetura islâmica na España. A mesquita começou a ser construída no século VIII, depois da invasão muçulmana na península ibérica, no lugar do templo visigodo mais importante da cidade. Desde então passou por várias ampliações e, no século XIII, depois da Reconquista, foi consagrada como Catedral. Um dado curioso é que seu muro de quibla (para onde devem ser dirigidas as orações) não foi orientado à Meca, mas 51 graus ao sul, habitual nas mesquitas de Al-Ándalus (território da península ibérica sob poder muçulmano durante a Idade Média). O mais interessante da Mesquita-Catedral, e o que a torna tão especial, é encontrar num mesmo monumento elementos visigodos, muçulmanos e católicos.

La Mezquita-Catedral de Córdoba
La Mezquita-Catedral de Córdoba
La Mezquita-Catedral de Córdoba
La Mezquita-Catedral de Córdoba

Do Patio de los Naranjos dá para ver a Torre da Catedral, que foi construída na época de Abderramán III, e sofreu varias modificações, sendo a última em 1664.

A torres vista do Patio de los Naranjos
A torres vista do Patio de los Naranjos

Saindo da Mesquita vamos ao Alcázar de los Reyes Cristianos, uma fortaleza do século XIII com ampliações barrocas. Nesse lugar passaram romanos, visigodos, muçulmanos e cristãos. E de todos encontraremos resquícios, como um sarcófago do século III, uma pequena capela barroca e banheiros de inspiração árabe. Mas o mais bonito do Alcázar sem a menor dúvida são os jardins, exemplo da grandiosidade desse monumento e onde os visitantes passam mais tempo.

Alcázar de los Reyes Cristianos
Alcázar de los Reyes Cristianos
Alcázar de los Reyes Cristianos
Alcázar de los Reyes Cristianos
Alcázar de los Reyes Cristianos
Alcázar de los Reyes Cristianos
Alcázar de los Reyes Cristianos
Alcázar de los Reyes Cristianos

Por último, um passeio na zona do rio é obrigatória. Aí esta a Ponte Romana, com uma estátua de San Rafael, do século XVI, no centro. Cruzando a ponte está a Torre de Calahorra, uma construção do século XIII. A torre é um ponto estratégico de entrada a Córdoba e a construiu Enrique II de Trastamara durante a luta com seu irmão Pedro o Cruel.

Com isso o imprescindível na cidade está visto. Claro que há muito mais coisas para ver, mas com isso pode-se considerar que a cidade está visitada. Se sobrar tempo dá para incluir no roteiro a visita ao Palacio Episcopal, a Capilla de San Bartolomé, a Plaza de Cardenal Salazar, Museo Julio Romero de Torres e o de Bellas Artes, a Plaza de la Corredera, Templo Romano, a Sinagoga e os Mausoleos Romanos.

Artesania de Córdoba
Artesania de Córdoba

Mas ao invés de ir em todos os pontos turísticos da cidade eu perderia mais tempo caminhando pela Judería e comendo em algum dos restaurantes típicos da cidade, com seus impressionantes pátios.

Judería
Judería

Onde comer

O meu restaurante preferido em Córdoba é a Casa Pepe de la Judería. Essa foi a segunda vez que estive e gostei ainda mais que a primeira. O restaurante é uma dessa típicas casas cordobesas, com vários salões e o pessoal super atencioso. Normalmente está cheio, é bom reservar.

Casa Pepe de la Judería
Casa Pepe de la Judería

Como éramos muitos pudemos provar várias coisas. De entrada há dois pratos obrigatórios que são muito famosos nesse restaurante. O primeiro é o Salmorejo com jamón ibérico de bellota. Eu particularmente não sou fã de nenhum ‘sopa fria’, mas para quem gosta, esse é o lugar.

Salmorejo com jamón ibérico de bellota
Salmorejo com jamón ibérico de bellota

O segundo prato obrigatório são as Berenjenas rebozadas con miel de caña (beringelas com mel). Uma delícia!

 Berenjenas rebozadas con miel de caña
Berenjenas rebozadas con miel de caña

E como já estamos em época de cogumelos, pedimos um prato de Setas de temporada con huevo a baja temperatura y parmesano que estava maravilhoso.

Setas de temporada con huevo a baja temperatura y parmesano
Setas de temporada con huevo a baja temperatura y parmesano

De prato principal, outro clássico da casa é o Rabo de toro estofado con patatitas, muito parecido com a nossa rabada.

Rabo de toro estofado con patatitas
Rabo de toro estofado con patatitas

Provamos também o Bacalao confitado en aceite de romero, vizcaína de choriceros y alioli de olivas negras, um prato mais tradicional, mas muito pedido na casa.

Bacalao confitado en aceite de romero, vizcaína de choriceros y alioli de olivas negras
Bacalao confitado en aceite de romero, vizcaína de choriceros y alioli de olivas negras

E por último, o melhor de todos, um Risotto de pato con alcachofas que estava SENSACIONAL.

Risotto de pato con alcachofas
Risotto de pato con alcachofas

De sobremesa os dois Bizcochos de chocolate da casa. O primeiro o Bizcocho templado de chocolate y avellana com helado de leche merengada.

Bizcocho templado de chocolate y avellana com helado de leche merengada
Bizcocho templado de chocolate y avellana com helado de leche merengada

O segundo o Bipolar de chocolate com helado de sésamo. O primeiro melhor que o segundo, mas nada comparado à comida…

Bipolar de chocolate com helado de sésamo
Bipolar de chocolate com helado de sésamo

O outro restaurante que gosto muito na cidade é talvez o mais famoso: El Caballo Rojo, que está em frente à Mesquita. É um restaurante um pouco mais elegante que a Casa Pepe e um pouquinho mais caro (a diferença não é muita). Assim como o anterior, o Salmorejo, as Berenjenas e o Rabo de Toro são especialidades. Mas o melhor na minha opinião é  Piernecita de Cordero con Miel, maravilhosa!!

El Caballo Rojo
El Caballo Rojo

Uma outra opção que vale para tomar café da manhã ou comer ou tapear ou só tomar um vinho a qualquer hora do dia é o recém inaugurado Mercado Victoria, o único mercado gastronómico da Andalucía.

Mercado Victoria
Mercado Victoria

O mercado está fora do centro antigo mas muito perto dos hotéis que comentei acima (uns 5 min andando). O formato é muito parecido com o Mercado de San Miguel em Madrid, mas com várias zonas de mesas e varandas que podem ser aproveitadas durante vários meses no ano, já que o clima aqui é mais quente. O Café Panea é ótimo para quem preferir tomar café da manhã fora do hotel. O mercado abre às 10hs todos os dias da semana e tem horário non-stop até pelo menos meia noite. Vale a pena conhecer.

Mercado Victoria
Mercado Victoria
Mercado Victoria
Mercado Victoria
Mercado Victoria
Mercado Victoria
Café do Mercado Victoria
Café do Mercado Victoria
Hot Dog no Mercado Victoria
Hot Dog no Mercado Victoria

Casa Pepe de la Judería. Calle del Romero, 1 – Córdoba, España.

Reservas: +34 957 20074.

http://restaurantecasapepedelajuderia.com/

Média de Preço por Pessoa: 30 Euros

El Caballo Rojo. Calle del Cardenal Herrero, 28 – Córdoba – España.

Reservas: +34 957 475375

www.elcaballorojo.com

Média de Preço por Pessoa: 40 Euros

Mercado Victoria. Paseo de La Victoria – Córdoba – España.

http://www.mercadovictoria.com

4 thoughts on “Fim de semana andaluz: a Mesquita-Catedral, o Alcázar de los Reyes Cristianos e o Salmorejo de Córdoba”

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s